DESPEDIDA PADRE FÁBIO SENNA

Querido irmão no presbitério, Pe. Rodrigo, queridos coordenadores de grupos de pastorais, movimentos, comunidades, lideranças de nossa comunidade, queridos irmãos e irmãs de toda a Paróquia São Mateus.

Recebi há um pouco mais de um mês uma ótima reflexão para o tempo do Advento, muito oportuna para esse momento que vivo em minha vida, que diz: “no nosso processo espiritual do Advento, devemos também ativar a capacidade de ver quem somos nós, onde estamos, para onde vamos… sem o temor de nos defrontarmos com respostas desagradáveis. Somente partindo da realidade de nós mesmos, do conhecimento de nosso terreno interior, poderemos crescer como peregrinos em direção a um horizonte que progressivamente se mostrará sempre mais claro. Caminhando por estradas interiores desconhecidas, poderemos atingir experiências imprevistas e surpreendentes, ou reconhecer ‘vozes novas’ que nos mobilizam na direção de uma causa nobre e divina” (Pe. Adroaldo, SJ).

As “vozes novas” estão ecoando dentro de todos nós, nos chamando a novos caminhos, novas experiências que só não terão sentido se não nos abrirmos a esta dinamicidade que é própria da vida humana e que nos lança para novos horizontes e novos desafios!

Outras novidades também se apresentaram diante de nós neste final do ano passado e início de ano novo: a partida do diácono Sebastião, a minha que será no próximo dia 25, em que meu ministério presbiteral será exercido na Paróquia São Benedito de Monte Alto; a chegada do diácono Audive e a do Pe. Paulo Mazzi para o inicio de fevereiro. Mas uma comunidade se faz bem mais além dos presbíteros que estão à sua frente. Ela é feita por cristãos e cristãs batizados(as), que pelo seu encontro pessoal com Jesus Cristo, se dispõem a construir junto d’Ele um Reino de amor e justiça em meio a tantos sinais de oposição a este Reino.

Não posso deixar de dizer o quanto aprendi, o quanto amadureci, o quanto cresci enquanto padre, pessoa e cristão junto desta comunidade. Quando cheguei aqui em 10 de novembro de 2014, nem imaginava tudo o que Deus preparava para nós, neste 1 ano 2 meses e 15 dias, que me deu a graça de estar aqui, servindo a comunidade! Muito tenho que pedir perdão pelas falhas que a minha natureza humana e o meu pecado trouxeram nesta caminhada. Muito tenho que agradecer a tanta gente que sempre esteve junto, acompanhando esta trajetória, pessoas que foram como um irmão, pai, mãe, amigo, ao Pe. Rodrigo, ao seminarista Sebastião (hoje diácono), a todos os que estão ou estavam na linha de frente do trabalho nas pastorais, movimentos, grupos, aos funcionários que hoje estão ou que já passaram e que são verdadeiros colaboradores dando todo o suporte necessário para podermos cumprir a missão.

Agora, Deus me chama a outra margem com seus próprios desafios, mas Nossa Senhora está junto. Como não dizer sim? Desde o dia 09 de novembro, quando Dom Eduardo me propôs a mudança eu disse sim, com temor, eu confesso, mas com a confiança de Maria. Agora, portanto, tenho uma nova missão e missão a gente não escolhe, mas cumpre. Seja aqui ou seja em Monte Alto ou seja onde for. Deus conta conosco, apesar de nossa fraqueza. Como nos ensina Santo Inácio de Loyola: Tudo para a maior glória de Deus!

Enfim, que tenhamos um ano de 2016 cheio de esperança, de realizações, de paz, de amor e de fé. E que acolhamos este novo ano com esse pensamento: “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos” (Fernando Pessoa).

Um abraço carinhoso a todos. As saudades serão imensas! Contem sempre com minhas orações. E naquilo que for possível, estarei sempre à disposição. Rezem por mim. Rezem pelos vossos padres e diácono. Deus vos abençoe!

 

Pe. Fábio Ferreira Senna

Os comentários estão fechados.